domingo, 21 de outubro de 2012

Há tempos fiquei sabendo desta receita para fortalecer o corpo e criar mais colágeno rapidamente ; é muito usada na recuperação de traumas ; ontem um amigo nosso precisou de algo que melhorasse seu pós operatório, então me lembrei do mocotó com polenta ; eis abaixo a receita. MOCOTÓ DE PÉS-DE-GALINHA . antiga receita dos nossos índios .. Esta é uma receita sem ‘efeitos colaterais’ – como toda receita de antigamente – e, embora leve matéria-prima de origem animal, pode ser usada sem susto por vegetarianistas, vegans, macrobióticos, até mesmo higienistas e crudivoristas. Tem efeito comprovado na agilização das recuperações de traumas como enfartos, cirurgias, entorses, fraturas, artrites, artroses, perdas de vitalidade e outros. O mocotó deve ser usado em conjunto com uma polenta de milho. É o conjunto dos dois alimentos que produz o efeito de recuperação. Pode ser consumido até 3 vezes por dia – meio da manhã, meio da tarde e janta, por exemplo. Como todo alimento higienista, tanto o mocotó quanto a polenta são preparados sem qualquer tempero, somente água para o cozimento ; os temperos são adicionados no prato. Deve-se usar sempre bastante azeite com baixo teor de acidez [ até 0,4 % máximo ] e no mínimo 2 dentes de alho [ cru ou assado ‘al-dente’ ] além de muita salsinha, de preferência a brasileira [ salsinha ‘ninja’ resulta de enxertia e perde algumas das propriedades fitoterápicas da salsinha original]. Mas nada de sal ... como sempre. MOCOTÓ Usar 2 quilos de pés de galinha caipira [as galinha ‘de granja’ não fornecem bom mocotó] ; - lavar, pelar, colocar em panela de inox ou vidro – e não em panela de pressão ; - cobrir com água e acrescentar metade a mais do volume inicial de água ; - tampar e aquecer em fogo alto ; - aberta a fervura, cozer em fogo baixo por várias horas, até que as carnes se desprendam dos ossos ; - feito o cozimento, apagar o fogo e deixar amornando [1/2 hora já basta] ; - coar em um pano e separar ossos das carnes que houver ; pode-se fazer um refogado com elas [só não serve para o efeito de cura ...] ; - o líquido coado vai a um recipiente de vidro, com tampa, para a geladeira até o dia seguinte ; - no dia seguinte, o líquido deve estar separado em 2 partes : acima uma bela camada de gordura, em baixo o mocotó ; - separar a parte gordurosa com uma colher ou espátula, e descartar ; - amornar o mocotó e porcionar em cumbucas de vidro ou acrílico– deve ser suficiente para 15~21 porções ; tampar e preservar no congelador, retirando para usar conforme o necessário. POLENTA Usar fubá , 2~3 colheres para 2 copos de água ; - cozer em panela de inox ou vidro, em fogo baixo, sem qualquer tempero, mexendo sempre para não ‘embolar’ ; - completado o cozimento, colocar em forma de vidro ou porcelana ; fazendo uma boa quantidade, pode-se preservar em geladeira por até 5 dias ; - usar uma porção equivalente à do mocotó no consumo. Para o consumo, amornar a porção de mocotó e misturar com uma polenta mole, de milho, adicionando os temperos a gosto. O prato é consumido como um creme ou sopa, sendo o último item de uma refeição. Nada de sobremesas, a não ser por abacaxi, que é permitido em virtude da alta capacidade alcalinizante e do poder digestivo. SAÚDE – também se recupera comendo ! Nick. .

Nenhum comentário:

Postar um comentário