quarta-feira, 3 de junho de 2009

ESCOVAÇÃO PODE SALVAR VOCÊ !

Escovar os dentes pode até evitar enfarte ! !
Você sabia ? ?
Especialistas alertam : descuidar da saúde bucal pode acarretar sérios prejuízos para todo o organismo.
De acordo com o cirurgião dentista Carlos Alberto França Campos, existem na boca 400 espécies diferentes de bactérias, patogênicas e não patogênicas.
Mas as suspeitas de que certas bactérias bucais poderiam causar alterações sistêmicas no corpo humano não são de hoje.
Desde o século 19 já se cogitava a hipótese da “infecção focal”, como o tema era designado.
Pela falta de comprovações científicas na época, o assunto permaneceu adormecido por muito tempo.
Foi somente há 20 anos que a teoria da periodontia médica ganhou força e ampliou suas pesquisas.
Hoje, diversos estudos já comprovaram que a doença periodontal, ou periodontite (inflamação na gengiva), pode aumentar o risco de doenças cardiovasculares, para citar apenas um dos males relacionados à ela.
O processo de infecção é simples : as toxinas bacterianas decorrentes da inflamação na gengiva entram na corrente sanguínea do indivíduo, afetam outros órgãos e podem atuar no desenvolvimento de doenças sistêmicas, como endocardite bacteriana, enfarte, acidente vascular cerebral (AVC), diabete, pneumonia, artrite e nefrite.
Sinais de alerta : A gravidade dos efeitos causados pela doença periodontal contrasta com a simplicidade de sua prevenção.
Por isso, dentistas continuam a bater na velha tecla da boa higienização bucal.
É que a origem de todos os males está na presença da placa bacteriana, decorrente de uma escovação precária e da falta do uso do fio dental.
Estas bactérias são responsáveis pela inflamação dos tecidos moles da boca, denominada gengivite. Inchaço, sangramento à escovação, cor avermelhada e dor na gengiva são os principais sinais da doença, que apesar de incômoda é reversível com tratamento clínico profissional e controle da placa bacteriana.
A preocupação maior está no caso de uma gengivite não tratada devidamente evoluir para uma doença periodontal – esta sim, irreversível, embora possa ser estabilizada mediante tratamento.
Segundo a periodontista Margarida Alves de Brito Pagani, a doença periodontal pode e deve ser controlada com orientações criteriosas de escovação, uso do fio dental e tratamento odontológico específico.
Os sintomas da doença são visíveis : mobilidade do dente, alterações da posição dentária, retração da gengiva, mau hálito, alteração do contorno da gengiva e, nos estágios mais avançados, secreção purulenta.
O resultado é a perda óssea, comprometendo o sistema de sustentação do dente.
O agente desencadeador da periodontite é sempre a placa bacteriana, mas de acordo com Margarida Pagani, fatores genéticos também podem contribuir neste processo.
Se uma pessoa tiver antecedentes da doença na família, possivelmente terá maior predisposição em adquiri-la.

Nenhum comentário:

Postar um comentário