terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

NOVIDADE - ARROZ PRETO

OBA-OBA-OBA - novidades !!





fonte: http://www.arrozpreto.com.br/

Um arroz de grão curto e meio arredondado, textura macia, sabor e aroma acastanhado e coloração preta.

Cultivado na China há mais de 4 mil anos, com fama de produto afrodisíaco era chamado de "Arroz Proibido", pois era consumido apenas pelo Imperador, cabendo a seus súditos somente a produção dos grãos.

No Brasil, a pesquisa teve início em 1994, desenvolvida pelos pesquisadores do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), órgão da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo, para as características de solo e de clima paulistas, e batizado com o nome de IAC-600.

O Arroz preto tem 20% a mais de proteína, 30% a mais de fibra, tem menos gordura e menor valor calórico que o arroz integral.

É mais rico em compostos fenólicos que são benéficos à saúde humana, pois são substâncias que previnem o envelhecimento por seu poder antioxidante.

Por ser um produto exótico, é muito apreciado pelos chef´s da gastronomia nacional e internacional.

INTRODUÇÃO

Preocupado com a situação da orizicultura paulista o Instituto Agronômico iniciou em 1992 um programa de melhoramento genético com o objetivo de desenvolver variedades de arroz com tipos especiais de grãos para atender a demanda de nichos de mercado destinados à culinária mundial. Dentre esses novos produtos destacam-se aqueles com película colorida, caso específico do arroz com película preta, tipo bem difundido na Europa e nos Estados Unidos, oriundo da China, onde é produzido há mais de 4.000 anos.

A partir da década de 80, a China intensificou o melhoramento para arroz preto e hoje existem mais de 50 variedades modernas cultivadas naquele país. Com as pesquisas iniciadas em 1994, o Instituto Agronômico tem a grande satisfação de colocar à disposição dos orizicultores de São Paulo a IAC 600, primeira cultivar de arroz preto lançada no Brasil, para atender a demanda da cadeia produtiva de arroz.

Essa cultivar, IAC 600, é Oryza sativa, e não deve ser confundida com o chamado arroz selvagem que é outra gramínea (Zizania sp.).

ORIGEM

A cultivar IAC 600 originou-se de seleção massal realizada em 1994, em uma população da variedade chinesa Wang Xue Ren apresentava segregação para várias características agronômicas e culinárias.

Dessa seleção originaram aproximadamente 150 linhagens com diferentes tipos de grãos, panículas e porte de planta, até que no ano agrícola de 1996/1997 a linhagem IAC 1762 apresentou boa estabilidade agronômica e com potencial produtivo adequado para o padrão de tipos especiais, adaptando-se aos sistemas de plantio irrigado e terras altas com irrigação suplementar.

Testes de qualidade culinária realizados nos Estados Unidos revelaram um aroma acastanhado e teor de compostos fenólicos altos, dando a essa linhagem características específicas. A partir de 2001, iniciou-se a purificação de sementes e os experimentos avançados nas regiões produtoras do Estado de São Paulo para estimar o Valor de Cultivo e Uso (VCU).

COMPOSIÇÃO

A película que envolve o grão do arroz integral preto é rica em:

Hidratos de carbono, óleos, proteínas, compostos fenólicos, fibras, cobalto, vitaminas: A, B1, B2, B6, B12, niacina, ácido nicotínico, ácido pantatênico, pró-vitaminas C e E.

Clique aqui e veja o laudo emitido pelo ITAL (Instituto de Tecnologia de Alimentos).

VANTAGENS

Valor calórico reduzido.

Evita a formação de resíduos tóxicos que poderiam causar fermentação excessiva (flatulência) ou prisão de ventre.

Evita transtornos metabólicos e dos órgãos, que poderiam levar à obesidade, degeneração celular ou doenças malignas.

Promove melhoria na função celular, no fluxo sangüíneo, na oxigenação dos tecidos e do cérebro, harmonizando as funções dos órgãos internos.

Auxilia na formação do sangue, juntamente com o ferro.

Participa da manutenção e integridade dos vasos e do fluxo sangüíneos.

Previne o envelhecimento precoce, a hipertensão arterial, o diabetes, doenças da pele, além de beneficiar o funcionamento do coração e dos rins.

UTILIZAÇÃO

O arroz integral preto, sob a forma de papa, tem importante papel no início da alimentação infantil, convalescentes ou debilitados.

CARACTERÍSTICAS DO GRÃO

cor do pericarpo.....................................comprimento médio do grão (mm).............largura média do grão (mm)....................espessura média do grão (mm)...............relação comprimento/largura...................peso médio de 100 grãos (g)..................classe................................................rendimento médio de grãos inteiros (%)....teor médio de amilose (%)......................temperatura de gelatinização...................

preto5,512,751,872,012,55médio6819,3baixo

CARACTERÍSTICAS CULINÁRIAS

Este tipo de arroz é para ser consumido na forma integral, possui aroma e sabor acastanhado, grãos muito macios após o cozimento, com excelentes qualidades nutricionais, se comparado aos tipos tradicionais.

Composição química da IAC 600 comparada ao arroz tradicional integral e polido.

Componentes

IAC 600

arroz integral

arroz polido

umidade (%)cinza (%)gordura (%)proteína bruta (%)fibra (%)carboidrato (%)valor calórico (Kcal)teor de aroma (ng/g de 2-AP)compostos fenólicos (m M trolox/g)

8,81,281,679,712,0280,12359,59980825

9,771,462,637,041,4277,68362,55-79

9,810,250,386,020,3279,53360,38--

REAÇÃO A DOENÇAS

A cultivar IAC 600 é altamente resistente às raças fisiológicas do agente causal da brusone ocorrentes no Estado de São Paulo, tanto nas folhas como nas panículas. Os resultados confirmam os testes com marcadores moleculares realizados pela USDA/Texas. Em relação à mancha de grãos e queima das bainhas, a IAC 600 é bastante resistente.

EQUIPE DE PESQUISA

Melhoramento: Cândido Ricardo Bastos e Luiz Ernesto Azzini - CAPTA de Grãos e Fibras (IAC); Omar Vieira Villela - PRDTA do Vale do Paraíba (DDD) e Anna M. McClung - USDA/ARS-Beaumont, Texas.

Fitotecnia: Paulo Boller Gallo - PRDTA do Nordeste Paulista (DDD); Lúcia Helena Signori Melo de Castro e Vanda Maria Angeli Malavolta - CAPTA de Grãos e Fibras (IAC).

Apoio técnico: Maria Eunice Braga Ferreira; Takio Oda, José Rogério de Oliveira e Sérgio José Coradelo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário