quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

HIGIENE NOS BANHEIROS

Esta agora é boa ...







d:\dados\ saúde \ higienismo \ alertas \ banheiros sem cheiros..

.

NOSSOS BANHEIROS SEM CHEIROS.

algumas dicas de higiene sanitária.

As pessoas – principalmente as donas–de–casa – que me visitam ficam ‘estranhadas’ por conta de que os banheiros da casa não têm ‘cheiro de banheiro’, aquele odor característico, meio acre e um tanto desagradável.

Foram tantas as perguntas e questionamentos sobre o assunto que resolvi colocar o preto–no–branco.

Elas me contam que, mesmo instruindo as suas colaboradoras de limpeza das suas casas, os banheiros continuam com ‘aquele’ cheirinho ...

E me perguntam como é que eu faça.

Pois bem, é assim : antes de tudo, LAVO AS MÃOS ANTES de me servir do banheiro !

1 – vaso sanitário é para ser usado com a pessoa SENTADA nele ; principalmente os “meninos”, nada de fazer os serviços ‘leves’ de pé !

Afinal, vaso não é mictório !

Aliás, já é lei em países mais desenvolvidos da Europa como Alemanha, Suíça, Noruega e outros – todo mundo, seja homem, mulher, criança, urina sentado no vaso.

Quem for apanhado urinando de pé em um vaso sanitário – principalmente em banheiros públicos – vai preso !

Por isto é que há mictórios nos banheiros masculinos, assim quem não quiser sentar urina neles.

2 – ao termino dos ‘serviços’, é preciso abaixar AMBAS as tampas do vaso ANTES da descarga !

Isto faz parte dos critérios de higiene ; afinal, ninguém merece ficar com o banheiro inundado pelo spray de bactérias que uma descarga libera no ambiente do banheiro quando de dá a descarga com a tampa aberta ...

E o pior é que os tais microorganismos ficam por mais de 40 horas infectando o ambiente !

3 – terminada a descarga, cabe a CADA UM DE NÓS, e não às colaboradoras, higienizar o vaso e as tampas – a cada vez.

É nossa responsabilidade manter o banheiro que usamos limpo e higiênico.

Em casa uso uma solução a 70 % de álcool de cereais, com algumas gotas de óleo essencial – alecrim, calêndula, citrus eudora, eucalipto, menta, etc. – em um borrifador ; terminada a ‘função’ de descarga, suspendo as tampar e borrifo a solução pobre o vaso e as tampas ; passo um papel higiênico para retirar eventual excesso, e pronto.

4 – para finalizar, LAVO AS MÃOS de novo, cuidando para retirar todo e qualquer material que fique debaixo das unhas – pois é aí que os microorganismos vão se alojar.

É, minha gente, higiene ... quase ninguém conhece ! Nick

.



Nenhum comentário:

Postar um comentário