sábado, 29 de novembro de 2008

Micro-Organismos - Dr. Bactéria

Nossas Noções de Higiene

Durante as palestras que faço, acaba sempre surgindo o assunto : "Afinal, pr'á que esta 'neura' com a higiene ?"
Às vezes, algumas pessoas questionam : "Ficar mantendo tudo limpo não acaba deixando a gente sem proteção contra os microorganismos ?"
E por ai vai ...
É então que eu conto a história sobre higiene e higienismo.
Começo na Grécia clássica e venho vindo, contando passagens interessantes ao longo das eras.
Da Idade Média conto o caso de que a gente não saberia distinguir, ao entrar na casa de alguém do povo, quais os humanos e quais os animais ... pois viviam todos na mesma 'pocilga' [pr'a não usar o "m" de 5 letras].
Da Renascença vem o caso de que eles todos achavam que água rouba fluídos vitais.
Do tempo dos Luizes cito os comentários que faziam nos palácios - "água ? isso é para pobre, aqui usamos 'parfum' e 'maquillage'.
Da Itália vês os comentários sobre os bailes de máscaras.
Cito também os programas da BBC - aliás, bem educativo - mostrando os horrores por baixo das perucas, sob as pinturas faciais, por baixo das roupas íntimas e nas bocas.
Mais além, falo dos 'cow-boys' americanos, que não tiravam os minhocões nem pr'a fazer sexo, tomavam até banho com eles - uma ou duas vezes por ano somente - e só os trocavam quando se desfaziam de tão podres.
Entre nós, no Brasil, cito os casos bem conhecidos de D. João VI e seus franguinhos metidos nas mangas e o do Primeiro Império em que nosso imperador ficou com uma doença nas pernas que ninguém conseguia debelar, até que achou um 'mediquinho' brasileiro que receitou andar com as pernas nuas, todo santo dia por 1 hora, na prais com água pelas coxas ; D. Pedro I seguiu as instruções e, em alguns meses, estava curado ; o fato está bem documentado, hoje disponível - somente para pesquisadores autorizados - por digitalização na Seção de Livros Raros da Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro.
E comento a estória do banho, que nossos índios nativos usavam e até hoje usam como forma de manter o corpo e as energias limpos ; para elucidar melhor, vejam o artigo que escrevi a respeito, em VÁ TOMAR BANHO ... hehehe.
Ao final, faço uma 'enquete' entre a audiência, com perguntas pertinentes aos hábitos de higiene ; tenho chegado à conclusão de que, hoje em dia, somente 2~3 % das pessoas realmente praticam hábitos higiênicos ; são itens sobre os quais nem pensamos : sapatos, mãos, banheiros, comidas, limpeza, boca e ainda outros.
Para que vocês todos tenham uma boa fonte de referência sobre higiene, sugiro que comprem e leiam o guia Dr. Bactéria, de Figueiredo e Belluomini, editado pela Globo.
Leiam, pratiquem, sejam felizes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário